Review: Minha experiência com o Samsung Pay
Leonel Fraga de Oliveira 12/07/2018 20:56
Samsung Pay

Fala galera! Faz tempo que não atualizo este blog, né? Bem, não sei se vocês notaram mas o layout está um tanto diferente. Fiz uma boa modificação nele, ficou mais limpo e bem mais amigável no mobile. Tudo usando HTML 5 + CSS + Bootstrap.

Mas o assunto que quero tratar nesta retomada do NeoMatrix Tech é a minha experiência com o método de pagamento via celular Samsung Pay. Há mais ou menos três semanas que já estou utilizando, é deveras prático. Gostei muito, mas ainda tem alguns percalços, como vou mostrar abaixo. Vem comigo!

1. Hardware utilizado

O smartphone que utilizo com o Samsung Pay é o Samsung (dã!) Galaxy S8, flagship de 2017 e comecinho de 2018. Como é um aparelho top de linha, não sinto a necessidade de trocá-lo por um modelo mais novo. O sistema operacional é o Android 8.0 Oreo, com o último patch de atualização disponibilizado pela Sammy.

Sendo um Galaxy S8, ele possui duas tecnologias de aproximação: NFC (Near Field Communication) e #Boulos2018 MST (Magnetic Secure Transmission), que emula a tarja magnética do cartão.

A segunda tecnologia faz com que a tecnologia seja aceita na grande maioria das máquinas de cartão hoje em dia, pois é como se você estivesse passando a tarja magnética do cartão na leitora. Já o NFC ainda não é bem difundido. O lado ruim do MST é que ela é uma tecnologia proprietária da Samsung, portanto por enquanto somente teremos-a em aparelhos da marca, não necessariamente nos flagships (consulte o site da Sammy para detalhes).

2. Cartões cadastrados

No site do Samsung Pay há uma lista com os cartões que são aceitos para utilização com a plataforma. Ainda são poucos bancos e cartões, se compararmos com a diversidade que temos por aí. Segue abaixo os cartões que utilizei:

- Santander Van Gogh Platinum Visa e Mastercard: cadastrados e validados com sucesso. A validação foi feita através de código enviado por mensagem.

- Itaucard Mastercard ("puro"): cadastrados e validados com sucesso. A validação se deu através do aplicativo Itaucard.

- Itaucard Instituto Ayrton Senna Visa: Não consegui cadastrar este cartão. A mensagem que aparece é a que o emissor ainda não é compatível com o Samsung Pay.

Mas espera ae... no site do Itaú está dizendo que todos os cartões de crédito são aceitos e esse não foi! Creio eu que como esse cartão antigamente era Credicard, talvez os sistemas não estejam 100% unificados (lembremos que Credicard foi comprada pelo Itaú), portanto o Samsung Pay reconheceu como um emissor diferente. Veremos se mais para frente isso é corrigido.

3. Utilizando o Samsung Pay no dia a dia

A interface do Samsung Pay é atraente e fácil de se utilizar. Quando um cartão é cadastrado, por padrão fica uma barra na parte inferior da tela Home, e caso ela seja "puxada" para cima o SP é aberto com a lista de cartões favoritos. Para escolher um cartão, basta deslizar para os lados.

Para iniciar a transação pelo SP, basta tocar no cartão desejado, e escolher uma opção de autenticação: PIN, impressão digital ou iris. Com isso é habilitado o modo de pagamento e basta aproximar da maquininha, colocar a senha ou o código de segurança gerado pelo SP que a transação é concluida. Simples, não?

Bem, simples é, mas tem alguns percalços dependendo da pessoa no caixa e da maquina de cartão / pinpad.

Pagamento por celular é uma coisa bem recente. Nas vezes que utilizei, algumas pessoas acharam estranho, outras acharam "chique", e poucas encararam com naturalidade.

Se for um local que tenha um pinpad acoplado ao PDV em vez da máquina avulsa, quando o visor pedir para inserir ou passar o cartão, simplesmente posso aproximar o celular que a transação é feita. Alguns visores já mostram a seguinte mensagem: "Aproxime, insira ou passe o cartão". Esta mensagem é exibida nos pinpads que possuem suporte a NFC.

Como o S8 também trabalha com o MST, posso aproximar o celular do leitor magnético que a transação também é feita. Só que neste caso pode ocorrer que a leitora não reconheça a transmissão e indique que o cartão é inválido.

Agora, se for a máquina de cartão avulsa, pode ser que você tenha que explicar como funciona a coisa: se você for utilizar o MST, pode aproximar o celular da leitora magnética para iniciar a transação. Neste caso os passos seguintes são iguais ao cartão com chip ou o físico utilizando a tarja magnética.

Caso a maquina tenha suporte ao NFC, primeiro deve-se digitar o valor e escolher a opção de crédito / débito. Aí sim a maquininha estará esperando a aproximação do cartão.

Dependendo dos valores da transação, nem a senha ele pede. Em outras vezes é necessário informar a senha, e em outros casos também é necessário informar o código de segurança. Este código é o código gerado pelo Samsung Pay, baseado no seu cartão físico. A mesma coisa ocorre com os quatro últimos dígitos.

Nota: você não escolhe se será MST ou NFC. No modo de pagamento os dois sinais são transmitidos pelo celular, e dependendo de qual leitor o mesmo esteja próximo, é a tecnologia correspondente que será utilizada, totalmente transparente para o usuário.

4. Bonus track: é possível saber que tecnologia foi utilizada para fazer o pagamento?

Isto vai depender do aplicativo do seu banco. No meu caso, fazendo as compras com um dos cartões do Santander, ao lado da compra é exibido um ícone indicando qual o método utilizado para fazer a compra, veja imagem abaixo:

Santander Way

 

Acima temos uma captura de tela do app Santander Way. Nele não mostra que a transação foi feita com o Samsung Pay (isto é mostrado em mensagem de texto que o banco envia após a transação e também em notificação do app do Samsung Pay), e sim qual método do cartão foi utilizado.

Considerando que fiz as duas primeiras transações acima utilizando o Samsung Pay com o cartão do Santander, temos o seguinte:

Seta 1: utilizada a tarja magnética do cartão, portanto a transação foi efetuada com a tecnologia MST.

Seta 2: o símbolo com um celular com linhas de transmissão (parecidas com a do WiFi) indica que a transação foi efetuada com a tecnologia NFC.

Seta 3: o símbolo do chip denota que utilizei o cartão físico para esta compra.

Como pudemos ver acima, utilizei tanto NFC quanto MST com o SP.

5. Conclusão:

Pagar utilzando o celular é deveras prático. Não vou negar que dá um certo "ar de superioridade", visto que algumas pessoas acharam o negócio "chique".

E particularmente no caso do Samsung Pay em um celular que suporte a tecnologia MST é mais mão na roda ainda, pois não é necessário ter o suporte a NFC para utilizá-lo. Portanto, sendo este o seu caso, prefira utilizar esta tecnologia que na maioria das vezes vai funcionar e o processo será transparente para o atendente do caixa.

Já dá para abolir o cartão físico então? Ainda não, vamos devagar com o andor! Pois o celular pode ficar sem bateria, não é mesmo? Sempre é bom ter consigo pelo menos um cartão físico, tanto no caso de falta de bateria quanto da máquina insistir em não reconhecer o cartão, mesmo utilizando MST.

Leonel Fraga de Oliveira Leonel Fraga de Oliveira é formado em Processamento de Dados na Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC-SP - 2002) e anteriormente em Técnico em Eletrônica, pela ETE Professor Aprígio Gonzaga (lá em 1999).
Atualmente trabalha como Analista de Sistemas na Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul - SP
Tem como hobbies DJing (também trabalha como DJ freelancer) e ciclismo, além da manutenção dos sites NeoMatrix Light e NeoMatrix Tech.
Gosta de música eletrônica, tecnologia, cinema (super fã de Jornada nas Estrelas), gastronomia e outras coisas mais.


Compartilhe nas redes sociais

   

Deixe seu comentário

comments powered by Disqus