E aí, pessoal! Como passaram o findar de 2014 e o início de 2015? A notícia mais bombástica, em se tratando de tecnologia aqui em terra-brasilis, é o aumento do preço dos iPhones. Dessa vez a Apple chutou o pau da barraca, e o mais básico (hoje o iPhone 6 de 16 GB - sim, só 16 giga) custa a bagatela de R$ 3500,00 (aumento de R$ 300,00).

Ser Appletard no Brasil ficou bem mais caro. Meu próximo celular (o atual é um Galaxy S3) será ou um Moto X 2014 ou o futuro Novo Moto G com 4G.

Mas o item de tecnologia que bombou mesmo por aqui tem a ver com celular, um acessório, o chamado MonoPod (monopé - nome científico), mais conhecido pelo popular "pau de selfie", ou até mesmo "GoPobre" (trocadilho com as câmeras de ação GoPro, que contam com este acessório).

O famoso Pau de Selfie (Monopod), só que com um tripé acoplado.

A utilidade do bicho é clara: acopla-se o celular no suporte, extende a haste e um controle remoto bluetooth (o Android reconhece como um teclado, só prestar atenção na tela quando o pareamento é feito) aciona a câmera. Com isso temos uma área maior para captura da foto, mesmo com a câmera frontal, pois ela estará a uma distância maior do fotógrafo.

E como não poderia deixar de ser, temos os haters de pau de selfie!

Vejamos alguns argumentos dos haters:

- Não fica ridículo verem você usar o pau de selfie?

Cada um tem um senso de ridículo. Uns acham feio tirar foto com tablet, até mesmo com celular em vez de uma máquina dedicada. Se eu acho ridiculo uma determinada ação, simplesmente não a faço, oras. Se você é feliz utilizando MonoPod, iPad, uma DSLR de última geração e outros para tirar foto, que continue fazendo isso.

- É uma coisa a mais para carregar

É, realmente para homens que normalmente andam carregando as coisas no bolso fica complicado carregar o MonoPod por aí. Mas quem anda com uma mochila acha espaço, já que ele não ocupa bastante. Já para mulheres, que normalmente usam bolsa, e como sabemos uma bolsa de mulher é um "buraco negro" (nunca tem fim, elas conseguem levar TUDO o que precisam em uma bolsa!), o acessório será muito bem abrigado.

- Você é tão "forever alone" que não consegue pedir para alguém tirar uma foto?

Hum... eu confesso que não tenho muitas habilidades sociais, mas não a esse ponto de não conseguir pedir para alguém tirar uma foto. Por exemplo, costumo pedalar muito em estrada, sozinho, e não há pessoas para pedir para tirar foto, porém quero que na foto apareça bastante da paisagem, como faz? O pau de selfie cai bem nessa hora!

Ainda na questão de pedir para alguém tirar uma foto, há a questão de que as pessoas não se sentem bem ao serem incomodadas por desconhecidos. Eu por exemplo não gosto, e por isso também não incomodo, só quando é estritamente necessário. E ainda há a questão da segurança, em que não se pode confiar em quase ninguém.

E não precisa ser forever alone para que o pau de selfie mostre sua principal utilidade. Ao permitir uma área de captura maior, logicamente que cabem mais pessoas na foto. Quer um exemplo prático? Então toma:

Encontrei com um pessoal em uma hamburgueria de Moema, e ao final dos encontros sempre tiramos um "grupal". Como o grupo não era muito grande, um amigo tirou a foto do pessoal utilizando um MonoPod, e coube todos. Você pergunta: Não poderia pedir para o garçom tirar a foto? Sim, podia, mas como existem estudos que dizem que um restaurante perde grana quando pedimos para o garçom tirar fotos (perde-se tempo de atendimento, né?)...

- E muito caro!

Verdade, existem pessoas vendendo o mesmo pau de selfie por preços que variam de 50 até 150 reais. Nos xing-lings da vida é mais barato, e dependendo o cara pechincha. E é o MESMO acessório vendido em lojas grandes! Então, pesquise!

Sim, eu comprei um desses, paguei pelo kit (o pau de selfie propriamente dito, um controle bluetooth e um tripé para câmera digital, que até pode ser encaixado na parte inferior do MonoPod) a bagatela de R$ 65,00 na Santa Ifigênia.

Pois é, um acessório tão simples provocou uma boa discussão nas interwebs! Feliz 2015!