Dando um giro por aí…
Leonel Fraga de Oliveira 24/05/2010 22:47

Fonte da Imagem: http://dret.net/lectures/web-fall09/img/html5.gifOs posts aqui no NeoMatrix Tech andam escassos, eu sei. Ultimamente não estou tendo muito tempo livre para fazer pesquisa e postar algo de programação por aqui. Acho que estou meio saturado do assunto, quero mais é férias e respirar ares novos hehe.

Mas sempre acompanho as notícias de tecnologia ao redor do mundo, muitas coisas estão bombando por aí, como a briga entre a Apple e a Adobe por causa do suporte à Flash no iPhone, a nova versão do Android promete ser 450% mais rápida que a anterior, entre outros assuntos interessantes.

Para quem desenvolve para a Web, os novos navegadores já estão trazendo suporte ao HTML 5, uma revisão “major” da linguagem de marcação mais utilizada no planeta.

O HTML 5 até que vai indo bem, obrigado, a não ser por um item que está dando o que falar: ele suporta vídeo nativamente, através da nova tag <video> sem o auxílio de plugins. Opa, então quer dizer que agora o Flash vai morrer?

Calma, filhão! Não é bem assim que funciona a coisa. A questão maior nesse assunto é: qual o CODEC vai ser o padrão?

Isso tá uma treta enorme: Por um lado, o H.264, controlado pela MPEG-LA que pretende cobrar royalties pela utilização a partir de 2015 e repleto de patentes. Por outro lado, temos o Theora / OGG Vorbis, um codec livre.

A briga está quente, e para botar mais lenha na fogeira um outro player entrou no contra: o Google com o seu codec WebM, um outro codec livre, um padrão implementado a partir do VP 8, adquirido pelo Google.

A Apple apóia o H.264, a Mozilla o Theora, e agora vem o Google. A Microsoft vai suportar o WebM em seu Internet Explorer 9, aliás, dizem que suportará que o vídeo seja codificado com qualquer codec instalado no Windows, através do DirectShow.

Quem usa Windows e assiste a vídeos, com certeza deve ter instalado um pacote de CODECs na sua máquina, e assim qualquer player, como por exemplo o Windows Media Player passa a suportar os formatos decodificados pelos CODECs que implementem a interface DirectShow. Com esse novo IE vai ser algo parecido.

O Linux usa uma tecnologia semelhante, chamada de GStreamer. Não tenho como falar muito à respeito, pois não manjo muito de Linux, só o basicão mesmo :)

Não sou um Fanboy da MS, mas acho a tecnologia do DirectShow / GStreamer mais adequada para a questão, pois de qualquer forma o usuário VAI ter que instalar um codec. Tá certo que a padronização vai “pro saco”, pois cada site vai codificar o vídeo para o formato que lhe convier, e para um usuário leigo descobrir qual codec ele vai ter que utilizar? Mas mesmo assim, rotinas de instalação do CODEC podem ser implementadas nos sites, assim facilitando o acesso ao vídeo.

Com essa abordagem de a tag <video> suportar qualquer CODEC instalado no sistema operacional (claro, ele tem que ser adequado para streaming, a maior forma de consumo de vídeo em um navegador) a guerra dos padrões vai ser decidida pela popularidade (leia-se: a que o YouTube utilizar :P ).

Um abraço!

Leonel Fraga de Oliveira Leonel Fraga de Oliveira é formado em Processamento de Dados na Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC-SP - 2002) e anteriormente em Técnico em Eletrônica, pela ETE Professor Aprígio Gonzaga (lá em 1999).
Atualmente trabalha como Analista de Sistemas na Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul - SP
Tem como hobbies DJing (também trabalha como DJ freelancer) e ciclismo, além da manutenção dos sites NeoMatrix Light e NeoMatrix Tech.
Gosta de música eletrônica, tecnologia, cinema (super fã de Jornada nas Estrelas), gastronomia e outras coisas mais.


Compartilhe nas redes sociais

   

Deixe seu comentário

comments powered by Disqus