Tá, o Lula foi condenado, mas e aí?
Leonel Fraga de Oliveira 25/01/2018 11:32

Ontem (24/01) disse que a cobra iria fumar, não é mesmo? O julgamento do ex-presidente Lula no TRF-4, referente ao caso do Triplex no Guarujá, teve o resultado esperado: condenado por unanimidade, com 3 votos a 0. E a pena foi aumentada para 12 anos e 1 mês de X.

Muitas pessoas comemoraram a condenação, seja com postagens em redes sociais ou até soltando fogos, como se o seu time de futebol fosse campeão da Libertadores!

Se roubou, deve ser condenado e ir para o X, óbvio! Quanto tempo passou até prenderem o Paulo Maluf? Há quanto tempo já sabíamos dos crimes cometidos pelo Malufão?

No meu caso fiquei indiferente. Não comemorei e nem lamentei a condenação. Os ideais de Lula são os que mais se aproximavam do modelo de país que eu quero? Talvez sim, mas não cravo meu voto nele, quero conhecer os outros candidatos e para isso terei que esperar até agosto, quando são finalizados os registros das candidaturas, correto?

Como eu disse para uma colega no serviço hoje: acredito em um conjunto de ideias (os que estou expondo na série "que modelo de país desejo."), e não em uma pessoa em específico. Votarei naquele candidato que mais se aproximar desse conjunto de ideais, não me esquecendo do voto para o legislativo, tão ou mais importante quanto o do executivo.

O que me deixa puto com esse lance de política, e o motivo que eu evito de postar sobre o assunto em redes sociais, principalmente no Facebook (e usar deveras o recurso de "Soneca" esses dias), é que as mesmas pessoas que comemoraram a condenação do Lula não atacarem com a mesma virulência outros políticos tão ladrões quanto.

Textos como esse, intitulado "Não se trata de Política", do Rica Perrone, acho de uma hipocrisia tremenda.

Se o autor diz que quer todos presos, por que não protesta contra eles também? Ele diz que (grifo meu):

Não culpe quem votou errado e abandonou o candidato após saber que se tratava de um bandido. Culpe quem votou, viu quem era e ainda assim ostentou a bandeira do ladrão até o fim.

Caralho, NINGUÉM sabia quem era Aécio Neves antes das eleições de 2014? Acho que TODOS sabíamos que ele TAMBÉM é um bandido, e mesmo assim votaram nele. Caro Rica, você votou nele provavelmente SABENDO o que ele era, só não falava por ser anti-PT! Só agora, que ele não tem mais serventia, os podres estão escancarados.

Não o culpo por votar no Cheirécio por ser contra o PT. Caso Jair Bolsonaro esteja num eventual segundo turno das eleições de 2018, aplicarei a mesma lógica: votarei no concorrente por ser anti-Bolsonaro. Pode ser o Picolé de Chuchu, o Prefake João Dólar, até no João Amoedo - que vai contra o que eu penso no quesito privatização -, Guilherme Boulos. Tanto é que votei na Dilma por não acreditar em Cheirécio, por já saber exatamente quem ele era, não porque ela era muito melhor.

Se o caso fosse puramente corrupção, todos seriam massacrados da mesma forma, o que não ocorre.

Os petistas falam em ausência de provas, que Lula foi condenado e não tinha provas. Quando questionei sobre o Picolé de Chuchu para a mesma colega de alguns parágrafos acima, ela também me perguntou sobre provas contra ele. Trensalão, RouboAnel, Merendão. São os "extremos" se comportando de forma igual, como diz a Teoria da Ferradura.

Outro parágrafo que me chamou a atenção no texto de Rica Perrone:

A obsessão por tirar o PT é também partidária, é claro! Mas não porque todos os demais são do PMDB, PSDB ou a puta que pariu. Mas porque é o efeito da banda Restart, lembra? A banda não incomoda tanto, mas os fãs.

Quanto ao partidária, cai justamente no meu questionamento sobre que modelo de país você quer. O PT normalmente é associado ás causas sociais, enquanto que o PSDB governa para ricos. Um é mais liberal no campo de costumes; o outro conservador. Um é estatista, o outro privatista, e assim por diante. Nesse quesito, minhas opiniões são contrárias às de Rica. Ele dá sinais de que é alinhado à plutocracia.

Agora, quanto aos fãs serem chatos, isso concordo. A idolatria a um político (ou a qualquer pessoa) é algo que cega as pessoas. Mas não é só na esquerda que há fãs chatos, vide os bolsominions. Fãs de Bolsonaro são tão chatos quanto os de Lula. Mais uma vez, a teoria da ferradura se aplica.

Por isso, por acreditar mais em ideais do que em políticos, e não personificar esses ideais em alguma liderança, e por não querer me estressar com brigas por causa de política, para mim o resultado do julgamento de Lula foi indiferente. Não comemoro e nem lamento, só deixo o jogo seguir.

Pena que o povo anda intolerante, uma faisquinha causa um incêndio de grandes proporções.

É isso o que eu tinha para dizer sobre o dia 24/01/2018.

Leonel Fraga de Oliveira Leonel Fraga de Oliveira é formado em Processamento de Dados na Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC-SP - 2002) e anteriormente em Técnico em Eletrônica, pela ETE Professor Aprígio Gonzaga (lá em 1999).
Atualmente trabalha como Analista de Sistemas na Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul - SP
Tem como hobbies DJing (também trabalha como DJ freelancer) e ciclismo, além da manutenção dos sites NeoMatrix Light e NeoMatrix Tech.
Gosta de música eletrônica, tecnologia, cinema (super fã de Jornada nas Estrelas), gastronomia e outras coisas mais.


Compartilhe nas redes sociais

   

Deixe seu comentário

comments powered by Disqus

Arquivo de Postagens