A escolha de um modelo de país começa pelo. Poder Legislativo!
Leonel Fraga de Oliveira 05/01/2018 11:06
Câmara dos Deputados (Foto: Laycer Tomaz/Câmara dos Deputados)

Agora começa "de verade" a série "Que modelo de país queremos para 2018", visando as eleições majoritárias de Outubro / 2018, que prometem ser quentes.

Não focarei em candidatos específicos, afinal tudo ainda está indefinido: Lulla vai para o X? "Aquele deputado carioca de extrema-direita que não deve ser nomeado" será candidato? O Prefake de São Paulo João Dollar Jr. será candidato a governador de São Paulo ou a Presidente? Poderei dar uma opinião sobre candidatos quando o quadro estiver definido, já próximo as Eleições.

A disputa presidencial está deveras comentada em todas as mídias, mas quando vemos notícias como esta, que mostra uma pesquisa dizendo que quase 42% da população quer anular o voto para deputado federal, diz que devemos pensar um pouco além da eleição presidencial em si.

O Poder Legislativo é aquele que faz as leis e também as aprova. O Presidente da República, assim como Governadores de Estado e Prefeitos das cidades, também propõem leis que são aprovadas pelo respectivo Poder Legislativo. O mandatário executivo NÃO governa sozinho em uma democracia!

O que você diria de um governante que só governa por decreto, passando por cima da Câmara? Certamente diria que ele é um ditador, autoritário, e outros adjetivos.

Por isso acho que as eleições para o Poder Legislativo são tão ou mais importantes do que para o Executivo!

Hoje temos um dos congressos mais conservadores (nos costumes) da história brasileira, então é natural que pautas que tratam de legalização de drogas, descriminalização do aborto, casamento homoafetivo sofram reveses na Câmara dos Deputados e no Senado, não chegando nem no dedinho da sanção (ou veto) do Poder Executivo. A mesma coisa acontece nos Estados e Municípios com as pautas progressistas que são de atribuição destes entes.

Além de conservador nos costumes, nosso poder legislativo também é plutocrata: governa para os ricos. Então as reformas propostas por eles visam diminuir o Estado de Bem Estar Social, como por exemplo limitando os gastos em áreas vitais como Educação e Saúde, a Reforma Trabalhista que altera a CLT de modo que favoreça à parte mais forte da relação patrão - empregado, e a Reforma da Previdência, que tornará mais difícil a aposentadoria de determinados setores da sociedade, o mais pobre para ser específico.

Não que a CLT e a Previdência não precisem de reformas, muito pelo contrário. O problema é que o povo não foi consultado sobre tais reformas, e as mesmas foram propostas por grandes empresários, plutocratas.

O Presidente não está apitando nada, só esperando a votação na Câmara e no Senado para sancionar as medidas. E como o Temeroso é alinhado à plutocracia. Vide a Reforma Trabalhista que já está em vigor.

Portanto, independente do modelo país que queremos, devemos pensar primeiramente como será composto o Poder Legislativo: deputados federais e estaduais e senadores, no caso das eleições de 2018. Esta escolha está diretamente vinculada neste modelo: se queremos um país mais progressista nos costumes, mais conservador, liberal economicamente.

É uma escolha deveras difícil. Partidos possuem muitas ramificações. Nós como pobres mortais também! Por exemplo, há pautas de direita e de esquerda que sou simpatizante (explanarei sobre elas detalhadamente em futuros posts, mas em alguns passados também comento sobre), e escolher o deputado cem por cento alinhado com nossas convicções é impossível, para dizer a verdade.

Mesmo assim, devemos ponderar sobre quais pautas são mais importantes para a sociedade em geral, e apostar no candidato ou na sigla que mais se alinha às nossas convicções. Sim, caro leitor, é uma aposta. Corremos o risco de nos decepcionar. Devemos estudar as propostas dos partidos e candidatos e fazer uma escolha sábia.

Como acho que o principal problema do Brasil é a desigualdade social (vou bater e muito nesta tecla), procurarei candidatos que foquem neste ponto.

Portanto, deixem a escolha do presidente um pouco de lado e vamos focar no Congresso, que é tão ou mais importante!

Leonel Fraga de Oliveira Leonel Fraga de Oliveira é formado em Processamento de Dados na Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC-SP - 2002) e anteriormente em Técnico em Eletrônica, pela ETE Professor Aprígio Gonzaga (lá em 1999).
Atualmente trabalha como Analista de Sistemas na Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul - SP
Tem como hobbies DJing (também trabalha como DJ freelancer) e ciclismo, além da manutenção dos sites NeoMatrix Light e NeoMatrix Tech.
Gosta de música eletrônica, tecnologia, cinema (super fã de Jornada nas Estrelas), gastronomia e outras coisas mais.


Compartilhe nas redes sociais

   

Deixe seu comentário

comments powered by Disqus

Arquivo de Postagens