Star Trek Discovery

Uma herança que meu saudoso pai me deixou foi a paixão por espaço sideral, principalmente filmes e séries de televisão. Particularmente Star Trek, mais conhecida por essas bandas como Jornada nas Estrelas.

Assisti a todos os filmes (inclusive o reboot, a nova linha temporal, claro) e as séries que passavam na TV aberta. Hoje graças à Netflix posso assistir às séries que ainda não tinha visto, por exemplo, acima da 3ª temporada da Nova Geração, da Deep Space Nine, Voyager e a partir da 2ª temporada de Enterprise.

Em 25/09/2017 tivemos a estréia de uma nova série de Star Trek, a Discovery. É exibida na TV para os Estados Unidos pela CBS, e pela Netflix para o restante do mundo. Até que enfim os produtores (segundo a Wikipedia, não tem dedo da Paramount na produção) deram uma bola dentro, ao lançar a série mundialmente através de streaming com um dia de atraso em relação a exibição estadunidense. Assim, quem gosta da série aqui no Brasil não precisa recorrer à pirataria para assistir. E sim, no Netflix a série já está dublada (também tem opção de áudio original + legendas, claro)!

E caros amigos, esses 12 anos de espera por uma nova série de Star Trek valeram a pena, mesmo tendo somente 2 epísódios lançados.

A série se passa 10 anos antes dos eventos da Série Clássica, situando-se dentro da linha de tempo principal de Jornada nas Estrelas. Conta as viagens da USS Discovery. Traz como inimigos os tradicionais Klingons.

Por falar nos Klingons, quem está acostumado com o visual das séries anteriores vai estranhar um pouco a nova aparência.

Uma tendência iniciada com os filmes da nova linha do tempo foi mantida nesses dois primeiros episódios, que foi priorizar a ação em relação a "filosofia", presente nas outras séries. Teve tiro, porrada, morte de personagem importante logo no segundo episódio! Particularmente eu gostei do andamento da história.

E visualmente então! Cenários das naves que misturam o novo com o velho. Painéis que não imaginávamos na Série Clássica com os efeitos sonoros da mesma. E a sala de transporte "antiga", não tão compacta quanto em TOS? Também me agradou!

Nem preciso falar que gostei da Capitã Philippa Georgiou, interpretada pela edificante Michelle Yeoh, já conhecida dos filmes Memórias de Uma Gueixa, O Tigre e o Dragão, A Múmia 3.

Agora é aguardar pelos próximos episódios. Com certeza vou acompanhar!