A Internet não perdoa!

Ontem (02/10) mais uma vez fomos à zona fazer nosso dever, escolher quem vai governar nossa cidade por mais 4 anos.

Como disse em uma postagem passada, meu voto para prefeito ou iria para Fernando Haddad (PT) ou Luiza Erundina (PSOL). Acabei indo de Haddad, pois embora eu não concordasse com algumas coisas que ele fez, como a redução de velocidade nas marginais, acredito que a saída para a redução da desigualdade social e inclusão das camadas mais desfavorecidas na sociedade, é pela esquerda. Para vereador, fui de Eduardo Suplicy.

Ontem mesmo já saiu o resultado da apuração, graças à tecnologia das urnas eletrônicas, e eis que o candidato do PSDB João Dória Jr. foi eleito no primeiro turno, com impressionantes 53,29% dos votos. Foram três milhões, oitenta e cinco mil e cento e oitenta e sete votos em números absolutos.

É surpresa a vitória de João Dória em SP? Para mim não.

Dória somente perdeu em duas zonas eleitorais, no extremo sul da cidade, onde Martaxa foi a vencedora. Na minha zona eleitoral em específico (397, bairro Jd. Helena - extremo leste, perifa, portanto), Dória venceu com 40,03%, enquanto o segundo colocado foi Celso Russomanno, com 21,73%. Haddad ficou em terceiro (16,82%), Martaxa em quarto (14,58%) e Erundina em quinto (4,15%).

Mesmo com uma capivara bem aparente (invasão de terreno público em Campos de Jordão, desvio de dinheiro da Embratur no governo José Sarney) conseguiu ganhar até nas áreas mais pobres da cidade. Cara, será que o número de coxinhas cresceu tanto assim na periferia?!!!

Quando temos até o Paulinho do Blog, reaça que só, sempre apoiando o PSDB nas eleições, não acreditando em Dória, aí tem! Só lembrando que Paulinho é serrista, não sei se isso tem algo a ver. Ele não declarou voto em Dória, por tabela no PSDB como normalmente faz, esse ano. Dória não é unanimidade nem no ninho tucano.

Não creio que seja uma onda reacionária dos mais pobres. Dizem que essa parcela da população ficou indiferente aos atos durante o processo de impeachment da ex-presidente Dilma, então não dá para classificar todos que votaram no Dória como coxinhas.

Também, com a máquina do governo estadual (lembre-se, o governador Picolé de Chuchu Alckmin foi "padrinho" de Dória) e com a grande mídia apoiando, sedenta pelas verbas publicitárias da prefeitura, fazendo campanha de ódio contra o PT e contra a esquerda em geral, campanha essa sendo martelada durante mais de 2 anos com força, claro que o caminho de Dória ficou bem mais fácil. Principalmente na galera mais influenciável pela mídia plutocrata!

Dória venceu mais por antipetismo (reitero, propagado pela grande mídia plutocrata) do que por suas propostas. O papo de "João Trabalhador" é balela, pois enriqueceu fazendo lobby para empresários e políticos, suas empresas não produzem nenhum bem. Muito dinheiro público foi injetado em suas empresas por parte do Picolé de Chuchu.

Ele prometeu aumentar a velocidade nas marginais na primeira semana de governo (algo que concordo), porém prometeu privatizar o Anhembi, o Autódromo de Interlagos e o Pacaembu (algo que discordo). É a Privataria Tucana agindo na cidade de São Paulo, vendendo patrimônio público a preço de banana e enchendo o bolso dos políticos.

Não acredito que um governo plutocrata seja o melhor para a parcela mais pobre da população, mas mesmo assim não faço torcida para dar errado. Já sobrevivemos a José Serra, Kassab, Maluf. Vamos ver daqui 4 anos se a população vai gostar do projeto de Dória.

Essas eleições também serviram para mostrar algumas coisas dos eleitores, principalmente a hipocrisia do lado coxinha: em 2014 quando Cheirécio Neves perdeu as eleições presidenciais, o PSDB logo entrou com pedido para recontar os votos, disse que as urnas eletrônicas foram fraudadas, esse mimimi todo. Esse ano Dória ganhou com a absoluta maioria dos votos (em SP) e até agora não vi ninguém da esquerda, principalmente o candidato derrotado, questionar o resultado.

Ficar chateado pela derrota sim, claro, todos aqueles que não acreditam em um projeto de direita não gostaram do resultado, porém a diferença entre os lados está justamente na aceitação da derrota. Democracia é isso, é a vontade da maioria, e se a maioria deseja que a plutocracia tome conta do povo, assim será feito. Cabe ao povo, quem votou ou não em Dória, cobrar o prefeito pelas melhorias na cidade. Ele deve governar para todos. Ah sim, ainda em tempo: Tomara que o Dória fique os quatro anos a que tem direito, não saia no meio do governo, igual ao que Cerra fez quando foi prefeito e governador, para disputar outro cargo em 2018.

Uma coisa boa é que pelo menos nos livramos do fundamentalismo religioso da Igreja Universal, na figura de Celso Russomanno. Nossos irmãos cariocas não poderão ter a mesma sorte, pois o bispo Marcelo Crivella concorrerá ao segundo turno no Rio de Janeiro contra Marcelo Freixo. E outra coisa boa, é que pelo menos na cidade de São Paulo há certa alternância de poder, ao contrário do governo do Estado comandado há mais de 20 anos pelo PSDB.

Quanto à Câmara Municipal, Eduardo Suplicy ganhou em número absoluto de votos. Isso é uma coisa boa. Mas em compensação, o povo paulistano conseguiu eleger o fascista Fernando Holliday. Isso é uma coisa lamentável. Assim como a reeleição de figuras como Adilson Amadeu (é contra o Uber em SP). Quanto ao Uber, torço para que Dória aplique a sua doutrina liberal e permita ao aplicativo continuar funcionando em São Paulo, não cedendo às pressões de taxistas e vereadores ligados a eles.

Bem, como moro em São Paulo porém trabalho em São Caetano do Sul, claro que as eleições para prefeito desta cidade também me interessam.

José Auricchio Jr. (PSDB) voltará para a prefeitura depois de 4 anos, eleito com 34,34% dos votos. O atual prefeito, Paulo Pinheiro (PMDB), ficou em segundo com 30,71%. Como SCS tem menos de 200k eleitores, não há segundo turno.

Quando entrei na Prefeitura de SCS em 2009 o prefeito era Auricchio, portanto, pelo menos já trabalhei com ele no comando do município. Veremos como será esse novo mandato, quais serão as pessoas que serão colocadas como diretores e secretários, e principalmente os projetos para a TI, minha área :).

O ano que vem já está aí, faltando menos de 3 meses para começar. Vamos torcer para que os prefeitos eleitos façam um bom governo, e que a oposição e o povo, principalmente estes que bradaram contra a corrupção durante o impeachment (e que a esquerda fique batendo no pé dos coxinhas quanto a isso), fiscalize a roubalheira nos seus municípios.