Parabéns Estádio 97, 17 anos no ar!
Leonel Fraga de Oliveira 19/02/2016 16:50
Estádio 97 (imagem: Energia 97)

O Futebol é uma das maiores paixões brasileiras, sem dúvidas. Não é a toa que esse esporte recebe muito investimento, atletas são supervalorizados em detrimento de outras modalidades, e hoje em dia a entidade que comanda o futebol tanto mundial (FIFA) quanto nacional (CBF) estão mergulhadas na corrupção.

O esporte que eu pratico é o ciclismo, mas como a maioria dos brasileiros também acompanho um pouco futebol, principalmente o time que eu torço, São Paulo FC, o meu Tricolaço do Morumbi. Não sou fanático, a ponto de saber escalações de mil novecentos e bolinha, coisa assim. Sou mais um torcedor bem comum, zoando os adversários e também sendo zoado pelos mesmos quando o SPFC perde. Ah sim, sou o maior perna de pau!

Um dos programas esportivos que acompanho é o Estádio 97, da rádio Energia 97 (97,7 MHz FM – São Paulo - SP), que hoje (19/02) completa dezessete (17) anos no ar!

Isso é metade da minha idade! Comecei a acompanhar com mais frequência no início da década de 2000, acho que não cheguei a pegar a primeira formação. A formação do programa que comecei a acompanhar era o Sombra (SPFC, âncora do programa), Domênico Gatto (Porco), Mano e Benjamin Back – também chamado de Nariz e Fantasma do Trem - (Gambás), RG nº 2 (Caiçaras), Portuga (Lusa), além do humorista Alexandre Provolone (nome artístico à época) e do Repórter Funil (também nome artístico á época).

É uma mesa redonda estilo conversa de bar, de torcedor para torcedor. Além dos integrantes discutirem as notícias de seus times, futebol em geral e outros assuntos, há a participação dos ouvintes.

Nunca telefonei para o programa, porém eu já assisti ao vivo (no estúdio da rádio Energia) uma vez, por volta de 2001, acho, onde eu deixei uma mensagem na caixa postal, e também ganhei uma bola de um dos patrocinadores à época, a Roxos e Doentes. Uma outra oportunidade que tive de ver um programa ao vivo foi quando eles fizeram o programa de um stand de uma empresa de tintas em uma feira. Fui a essa feira de produtos para pintura com o único objetivo de ver o Estádio 97!

Um programa há dezessete anos no ar não é fácil de se manter, e claro, muitas mudanças houveram: saída do Provolone e Fuzil para um programa concorrente na Transamérica, mudança de produtores, entrada do Repórter Mota (torcedor do SPFC)…

As relações pessoais entre os integrantes sofrem um desgaste: Benjamin e Portuga não se falam depois de uma briga em 2007 cujo ápice (no ar) foi uma discussão sobre a convocação do jogador Affonso para a Seleção Brasileira. Depois desse fato, os ouvintes tocavam no assunto, o âncora desconversava, um dando alfinetada no outro tanto no ar quanto nas redes sociais, teve outros momentos que a cobra chegou a fumar um tanto também. Era uma situação deveras chata.

Até que recentemente, no final do mês de Janeiro, o Portuga deixa o Estádio 97. A “versão oficial” é que ele vai para outro estado, outra cidade, provavelmente Belo Horizonte – MG, onde Portuga já fazia algumas participações com o pessoal do 98 Futebol Clube.

Os ouvintes ficaram putos principalmente porque o Portuga nem teve a chance de se despedir no ar. Inclusive no dia da saída, nenhuma menção foi feita, somente algum tempo depois. Um cara que ficou quinze anos no programa e quando vai embora nem se despede? Dou razão para aqueles que isso foi uma tremenda falta de respeito por parte da rádio Energia 97.

“Teóricos da conspiração” perguntam: Será que teve dedo do Benjamin nisso? A entrada do humorista Rudy Landucci, que o Benja fica babando, já foi com o intuito de derrubar o Portuguinha? Pior que não duvido, viu!

O “Nariz” tem costas quentes, pois ele é quem faz o contato com os patrocinadores do programa. Como peitar o cara que traz a grana? Benja agora, além do Estádio 97, apresenta programas na Fox Sports. Nesses 17 anos, Benja cresceu bastante. O cara tem talento, claro, mas sua arrogância vai a níveis estratosféricos.

Há dias do E97 que são épicos, outros uma bosta. Tem horas que enjoo e prefiro escutar os Leo’s Sessions que tenho gravados em um pendrive, pq tem horas que não dá para ouvir, principalmente quando se metem a falar de política. Minha posição é pública (se não sabe, leia aqui), então não suporto ouvir as críticas a apenas um partido (cheio de corruptos, deixando claro) enquanto o opositor (trensaleiro, ladrão de merenda, etc.) fica impune. Sim, penso que aquilo lá é um antro de reaças que não enxergam o que acontece no Estado de São Paulo.

Cara, até o Portuga, que não possui uma posição social privilegiada é um reaça de marca maior! O Benjamin até dá pra entender também ser um reaça de carteirinha, pois ele tem uma posição social boa, se alinha bem às vontades da plutocracia.

O Mota já é mais light, nas redes ele critica os dois lados. Tanto por pertencer a um grupo bastante hostilizado (ele é homossexual), não tem cabimento ele ser reacionário.

Ah, Benja vs. Motinha! Eles “se amam” hehe. Benjamin vive provocando o Mota! Não sei se é pessoal, ou apenas brincadeira para fazer o programa apimentar um pouco. Tem hora que o Fantasma do Trem enche o saco mesmo.

Posso ficar um bom tempo sem ouvir o E97, porém não ouço a concorrência. A minha troca é pelo MP3 no pendrive, e as vezes para algo mais jornalístico como a SulAmérica Trânsito, ou Rock na Kiss. Sinceramente, não conseguia ouvir ouvir o extinto Galera Gol (13 anos no ar e com mais mudanças que o E97 em 17!), da Transamérica. Os outros programas da “Trans” são jornalísticos, portanto não concorrem com o E97. Mesmo com as divergências políticas que tenho com os integrantes, o Estádio ainda é o melhor programa no segmento jornalismo com humor esportivo.

As promoções atuais do programa também são de peso, como uma em que leva um ouvinte para assistir ao clássico Real Madrid x Barcelona na Espanha.

Incrivel como que em 17 anos a fórmula, com mudanças no passar do tempo, ainda é bem aceita pelos ouvintes. Atualmente um programa com essa longeividade no rádio é digno de nota.

Então, Parabéns, Estádio 97, por nos proporcionar descontração nesse trânsito caótico de Sampa.

Leonel Fraga de Oliveira Leonel Fraga de Oliveira é formado em Processamento de Dados na Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC-SP - 2002) e anteriormente em Técnico em Eletrônica, pela ETE Professor Aprígio Gonzaga (lá em 1999).
Atualmente trabalha como Analista de Sistemas na Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul - SP
Tem como hobbies DJing (também trabalha como DJ freelancer) e ciclismo, além da manutenção dos sites NeoMatrix Light e NeoMatrix Tech.
Gosta de música eletrônica, tecnologia, cinema (super fã de Jornada nas Estrelas), gastronomia e outras coisas mais.


Compartilhe nas redes sociais

   

Deixe seu comentário

comments powered by Disqus

Arquivo de Postagens