É tempo de celebrar o Natal!

Mais um ano está findando, outro começando e entraremos no último ano da primeira metade da década de 2010. E como todo final de ano esta é uma época em que refletimos o que passou no decorrer e fazemos planos para o que virá.

Como todos os anos tive altos e baixos, do pico mais alto da alegria até o vale sombrio da depressão.

Este ano de 2014 tem sido deveras complicado em minha família. Doença na família é complicado, todos ao redor da pessoa sofrem, umas mais, outras menos. Nunca imaginei que meu pai iria sentir mais a falta da minha mãe, pensei que como eu era o mais ligado a ela iria sofrer (bem) mais, mas não foi assim que a banda tocou e até que estou bem quanto a isso.

Ainda não sabemos se o que ele tem é o "alemão" (Alzheimer), ainda irá passar por um neurologista para ver, mas fisicamente está até que bem, tirando o diabetes, mas a mente não está colaborando com certas coisas, e que deixa o restante família (eu, meu irmão, minha cunhada, demais parentes) de cabelo em pé, para não dizer outra coisa.

Uma das coisas que minha religião Tenrikyo prega é que devemos aceitar os nós que Deus-Parens coloca para a gente, porém está bem difícil cair a ficha, e creio que, fazendo a minha "fama" no serviço de "profeta do apocalipse" (este apelido é por causa de secar principalmente a porcada hehe), 2015 será um ano difícil nesse aspecto, mas vamos ver.

Mais coisas negativas que aconteceram? Bem, em maio sofri uma queda de bike em uma trilha e quebrei o ombro, e hoje graças à Deus estou 100%, o meu papagaio Kiko faleceu em meados de dezembro (agora temos 1 papagaio, justamente o mais velho de todos e que primeiro chegou em nossa casa quando morávamos no Ipê, Loré!), e uma coisinha ou outra que não me recordo de momento.

Neste ano os ânimos estiveram bem acirrados por conta das eleições presidenciais, e não pensei que nos meus círculos de contato tivessem pessoas com discurso de ódio, falando que o Brasil iria se tornar uma ditadura, atacando quem votou em candidato adversário. Aquele discurso paranóico, sabe? A disputa entre "coxinhas e petralhas" monopolizou as timelines nas redes sociais. Minha posição política considero de centro-esquerda, sem partido político preferencial, crendo que em TODOS existam podres. O que eu pego no pé é que os podres de uns (principalmente daquele cujo mascote é uma ave de bico longo) são escondidos pela mídia de grande alcance e que os raivosos (e os não raivosos, claro) não enxergam isso.

Se eu tenho um "lado coxinha"? Sim, eu sou a favor de algumas coisas, tais como pena de morte para estupradores, pedófilos e quem comete crimes hediondos; contra cotas raciais (acho que julgar capacidade por cor de pele é racismo institucionalizado, porém concordo com cotas sociais), penas mais duras para criminosos; contra o aborto exceto nos casos já previstos em lei.

Bem, chega de falar de trevas, claro que aconteceram coisas boas também, né!

Uma coisa que adorei fazer este ano foi iniciar nos pedais em grupo. Meio que influenciado pelos amigos, com vários andando de bike, resolvi aderir com firmeza nesta forma de lazer/esporte nesse ano. Pedalo nos grupos Pedal Paulista e com mais frequência no Lokobikers. Graças aos pedais minha autoconfiança aumentou, fiz vários colegas de pedal, e claro, a minha saúde agradeceu e muito.

Ainda no ciclismo, passei a fazer pedais longos em estrada (cicloviagens), e cheguei até a participar de um Audax, 200 km de bike! Claro que para isso precisei meio que aposentar a minha Caloi Montana velha de guerra, em favor de uma Caloi Explorer 20, muito mais parruda :).

Este foi o ano que eu me vi livre de algo que me prendia há 4 anos: terminei de pagar meu carro! Um bom alívio nas minhas finanças. E por falar nisso, o serviço até que foi próspero, seja no meu labor "oficial" quanto nos freelancers como "garoto de programa".

E claro, pensa que o DJ Leo F. ficou em branco? Claro que não! Além dos Leo's Sessions mensais tenho feito alguns eventos, como o casamento de uma amiga, e outras festinhas. Crescendo aos poucos, sem pressa, e aproveitando cada momento, como deve ser.

Vida amorosa? Bem, não compensa falar de algo inexistente, aí já é querer demais hehehehe. Porém embora tenha desencanado de viver tal situação, a esperança é a última que morre e ainda mantenho esse sonho vivo em algum lugar :).

Enfim, quero desejar aos meus amigos, familiares, leitores do meu site um Feliz Natal e Próspero 2015. Um abraço!