Sim, vamos falar sobre política mais uma vez no blog!

Se você torce para algum time de futebol, é normal que ao referir-se aos adversários do mesmo sejam utilizados termos jocosos. Como são-paulino que sou, utilizo gambá/galinha para falar do Corinthians, Porco para referir-se ao Palmeiras, Sardinha ao Santos, Flamerda para o Flamengo e outros, assim como os torcedores destes times chamem a mim ou ao meu time de Bambi. Até aí ok.

Na política acontece a mesma coisa: a militância e o eleitorado do PSDB chama os eleitores e membros (quando me refiro a membro de um partido, estou falando dos políticos e militantes) do PT de petralhas, enquanto os petistas chamam os eleitores e membros do PSDB de tucanalhas. Não conheço apelidos para outros partidos, aliás acho que até não existem, visto as eleições nos últimos anos polarizadas entre estes dois partidos.

No futebol, quando um jogador ou dirigente de um time começa a ter esse comportamento de torcedor (ofender o adversário) entendemos que é uma atitude anti-profissional do mesmo, que eles devem ter uma postura mais séria em relação a certos assuntos.

Na política acontece a mesma coisa, quando um candidato ou liderança de um partido começa a ter postura de eleitor torcedor fanboy.

Hoje tivemos a trágica notícia da morte do candidato à Presidência da República Eduardo Campos, do PSB, em um acidente aéreo ocorrido na cidade de Santos, na manhã de hoje (13/08/2014), que por conincidência aconteceu no mesmo dia e mês da morte de seu avô Miguel Arraes, há nove anos atrás.

Todos ficaram chocados com a notícia, eu inclusive. O cara estava sendo falado pela entrevista dada ao Jornal Nacional, da Rede Globo na noite anterior, demorou até cair a ficha de que ele e as outras pessoas que ocuparam o avião morreram.

Mas como aqui o papo é Internet, adivinha de quem é a culpa do avião ter caído, de acordo com alguns adversários políticos: Se você respondeu "do PT", ganhou um doce.

Teorias da conspiração é que não faltam, e isso vindo da "torcida" é bem previsível, agora vejam o que a nossa "amiga" Daniela Schwery (sim, ela mesma, Dani Schwery de quem falei aqui) escreveu em seu Twitter:

Twitter da candidata do PSDB à Dep. Estadual Daniela Schwery. Sei que podia incorporar diteto do twitter, mas vai um print-screen para eternizar.

Observem a postagem que diz "Celso Daniel - eliminado; Toninho do PT - eliminado" e me digam o que vocês pensam. Pois eu digo: as teorias da conspiração dizem que os casos Celso Daniel (ex-prefeito de Santo André) e Toninho do PT (ex-prefeito de Campinas) foram "queimas de arquivo" encomendadas pelo pessoal do PT. Nossa querida Dani infere com isso que o acidente de Eduardo Campos foi armado pelo PT.

A "torcida" falar essas teorias conspiracionistas e referir-se aos adversários com termos ofensivos é compreensível e previsível, agora essa mesma postura vindo de uma candidata para mim é inadmissível. Não creio que as lideranças do PSDB, homens estudados como José Serra, Fernando Henrique, até mesmo o Aécio Neves admitam essa postura de seus candidatos. Postura adolescente não combina com cargo público, onde você tem que zelar pelo povo, inclusive aqueles que não votaram em você.

Eu confesso que uso termos como petralha e tucanalha, porém eu não sou candidato a nada, só observo de fora, sem torcer para nenhum dos lados (na verdade, torcendo contra estes dois os lados - PT e PSDB - e sem um terceiro time definido). É como no futebol, sou apenas um torcedor que zoa com o adversário.

Mas ainda "há esperança na humanidade":

Há tucanos com bom-senso...

Até mesmo militantes/eleitores do PSDB não compactuam com a postura da Dani Schwery, e acham que ela deve ser expulsa do partido por causa da postura de torcedor. Eu tenho a mesma opinião, e inclusive acho que o TSE deve impugnar o pedido de candidatura da moça em questão.

A Dani possui superior completo, é comerciante (segundo dados do TSE), então não precisaria ter uma postura de eleitora fanboy. Se tem, então o estudo e a ocupação não adiantaram em NADA, que a cabeça dela possui um oco em vez de um cérebro. Lamentável.