Um dos assuntos que está dominando as redes sociais há alguns dias é a matéria de capa da edição nº 2279, de 24/07/2013 da revista Isto É, intitulada “O propinoduto do tucanato paulista”, que denuncia um esquema de desvio de verbas das obras do Metrô que foi montado durante os governos do PSDB em São Paulo.

Lotação em uma das linhas da CPTM, coisa que poderia ser resolvido com a grana desviada do tremsalão tucano.

O esquema foi denunciado pela multinacional alemã Siemens, onde relata que o governo paulista deu aval para formação de cartel para licitações de obras do metrô em Sampa.

Mais sobre essa denúncia pode ser lida aqui: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1320457-siemens-diz-que-governo-de-sao-paulo-deu-aval-a-cartel-no-metro.shtml

Vamos aos meus pitacos!

Tomei conhecimento do fato através do Twitter, onde esse “propinoduto do tucanato paulista” foi apelidado de “Tremsalão Tucano” (antes que os grammar-nazi entrem em ação, é escrito com “m antes de s – onde deveria ser n - ” mesmo para enfatizar o “Trem”), em referência ao “Mensalão Petista” que foi exaustivamente comentado na mídia – leia-se Rede Globo, Folha de São Paulo, Estado de São Paulo e Revista Veja (veículos de comuicação denominados PiG – Partido da Imprensa Golpista – pelos petistas).

Você notou que o link acima é da Folha de São Paulo? Pois é, o denominado PiG está relutante em publicar notícias sobre o Tremsalão Tucano. Como não dá mais para ignorar o fato, essa mídia solta notas que “aliviam a barra do PSDB”. Desde os grandes veículos até os minúsculos, de tendência tucana. Ah se fosse um escândalo em um governo do PT, o que ia sobrar de pauta…

São muitos os milhões desviados do Metrô e da CPTM, enquanto as obras de modernização da rede metro-ferroviária de São Paulo caminham a passos de tartaruga. Lotação excessiva, trens que descarrilam (aconteceu recentemente na linha 7 – Rubi  (Luz – Francisco Morato)  da CPTM) são problemas onde esse dinheiro poderia estar empenhado para a sua resolução ou amenização, visto que a cidade cresce.

Como nestes dias estou sem carro devido a um problema nos freios, tenho me utilizado da CPTM para deslocar-me para o trabalho. Pegar o trem às 6:40 na estação Jardim Helena – Vila Mara (Linha 12 – Safira) é uma tarefa deveras difícil. Claro que já sei dos “esquemas” para entrar, mas nunca é no primeiro trem. Mas depois que consigo entrar, a viagem até que é rápida. Se não fosse a superlotação (por incrível que pareça, na volta as condições são melhores), iria preferir o trem ao carro para esse percurso diário, mesmo se o segundo tivesse sem problema nenhum. Tanto que sou apaixonado por trens…

E por falar na linha 12 – Safira, recentemente foi inaugurada a nova Estação São Miguel Paulista, a poucos metros da antiga, de forma parcial: Embarque sentido Brás é feito pela nova estação, enquanto embarque sentido Calmon Viana é feito pela antiga (no Sábado, dia 03/08 a operação na nova estação é nos dois sentidos, mas será plena apenas na segunda-feira, 05/08/2013).

Segundo a CPTM, o investimento foi de R$ 45,9 milhões. Uma fração perto do que está sendo o tremsalão, e uma prova de que se o dinheiro fosse aplicado corretamente o benefício para o cidadão seria muito maior do que está sendo feito hoje.

E vale lembrar também que todos já estão em meio que uma “pré-campanha” eleitoral, visto que em 2014 teremos eleição para Presidência da República e Governos Estatuais. O PSDB já está há mais de vinte anos no governo de São Paulo e a batata tá assando para o lado tucano. Não que o PT seja opção, muito pelo contrário, mas mais quatro anos de tucanato, na minha opinião, não dá. Sei que temos poucas opções e que a guerra partidária irá ser forte em 2014, ano de Copa do Mundo no Brasil.

Vamos ver no que vai dar.