A semana passada foi marcada por protestos em todo o Brasil, que (dizem que) foram motivados pelo aumento do transporte público.

Protestos em São Paulo

Em São Paulo – SP, tanto os ônibus municipais quanto o Metrô e a CPTM, a tarifa aumentou de R$ 3,00 para R$ 3,20, um aumento de 6,67%, o equivalente à inflação. Vocês podem questionar: os caras fizeram protestos a semana inteira (e ainda vem mais) por causa de vinte centavos?

Não, pequeno gafanhoto. Vamos fazer uma conta rápida, vamos ver no que podem se transformar esses R$ 0,20, supondo que o sistema de transporte tenha em torno de 3 milhões de usuários por dia e que cada um utilize uma passagem de ida e volta de busão:

- 0,40 (ida e volta por dia) x 3.000.000 = R$ 1.200.000,00 por dia
- R$ 1.200.000 x em média de 20 dias úteis por mês = R$ 24.000.000,00 por mês
- R$ 24.000.000,00 x 12 meses: R$ 288.000.000,00 por ano.

Sabe o que significa um valor próximo dos duzentos e noventa MILHÕES por ano? Por exemplo, este valor quita a dívida de R$ 264,5 milhões que o ex-prefeito de São Caetano do Sul, José Auricchio Jr (hoje secretário de esportes do Governo Estadual de São Paulo) deixou para a cidade no final de seu mandato (e ainda sobra uma graninha).

Este valor também proporcionaria muitas melhorias de infra-estrutura e de serviços na cidade: hospitais, escolas, creches, melhores salários para o funcionalismo público, melhorias viárias, manutenção de parques, segurança, enfim, as possibilidades são muitas.

Mas como estamos no Brasil, sabemos bem para onde vai esse dinheiro: bolsos de donos de empreiteiras, contas em paraísos fiscais, cuecas e meias dos nossos políticos, enfim, alimenta a corrupção e destrói as esperanças de um futuro melhor para o povo.

Muita gente reclamava do “sofativismo” do povo brasileiro: xinga muito no twitter e não sai às ruas protestar. Agora que o povo está tirando a bunda da cadeira e protestando pra valer contra a corrupção no Brasil, o mesmo povo está reclamando dos protestos. Dizem que atrapalham o deslocamento pela cidade, reclamam da destruição que o mesmo provoca, da repressão policial, entre outros.

Sou a favor dos protestos, desde que se proteste no lugar certo: quer protestar contra o prefeito? Vá até a sede da Prefeitura. Contra o Governador de São Paulo? Vá em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Contra a roubalheira na Copa? Vá para os elefantes brancos e estádios para particulares (Gambazão, estou falando com você) construídos com dinheiro público sem necessidade, onde foi prometido que não entraria dinheiro público e é tudo mentira.

A região da Paulista é composta de vários hospitais em sua volta. Esse é um papo antigo, então não vou alongar nele.

Quanto a repressão policial, concordo reprimir apenas aquelas pessoas que vandalizam a cidade. Estes devem sim ser presos. Em todo protesto vão aquelas pessoas que não tem nada a ver com a causa, que querem somente se aproveitar da aglomeração de pessoas para praticar atos criminosos. Se a polícia está dando borrachada em quem quer apenas protestar, tá dando uma imensa bola fora e o policial deve pagar pelos seus atos.

Entrou o assunto “Copa do Mundo” um pouco acima, né? Na abertura da Copa das Confederações no estádio Mané Garrincha, em Brasília – DF, a presidente Dilma Rousseff e o presidente da FIFA Joseph Blatter tomaram uma chuva de vaias. Bem merecidas.

A Copa no Brasil está custando o equivalente a MAIS QUE A SOMA DAS TRÊS EDIÇÕES ANTERIORES. Isso mesmo, é a Copa mais cara de todos os tempos! Na minha opinião, é a Copa da Corrupção.

Estamos pagando muito caro pela megalomania do presidente anterior, Lulla. Copa e Olimpíada no Brasil para que? (essa pergunta é retórica).

O povo está acordando. A Internet está acabando com o mundo cor-de-rosa proporcionado por Rede Globo e assemelhados. A Grande Mídia não está conseguindo ocultar o que está acontecendo nesse princípio de Primavera Brasileira. A Globo bem que tentou esconder para o mundo as vaias recebidas no Mané Garrincha, mas graças a força das Redes Sociais isto é impossível.

Será que teremos uma revolução de grandes proporções no Brasil nessa segunda década do século XXI como tivemos na primeira metade século XX? O pavio já foi aceso agora mesmo, em Junho de 2013, um pouco mais de um ano para a Copa do Mundo e as Eleições presidenciais, em 2014.

Vamos imaginar como será na Copa.