Estamos na metade do ano de 2012, um ano em que temos as Olimpíadas, o “fim do mundo” segundo calendário Maia, e eleições municipais no Brasil, onde elegeremos prefeitos e vereadores nos mais de cinco mil municípios desse Brasilzão.

Petralhas x Tucanalhas

Embora a campanha eleitoral na TV ainda não tenha se iniciado, os pré-candidatos já estão à todo vapor em seus eventos de campanha. E como sempre, os adversários se atacando entre si.

Vocês já escolheram seu candidato? Eu ainda não escolhi, mas tenho fortes tendêndcias em votar nulo. Simplesmente NENHUM dos candidatos me agrada. Só para vocês sentirem o “drama” que será em São Paulo – SP, vamos a um pequeno panorama dos principais candidatos à prefeito:

Liderando as intenções de voto, em torno de 30% (segundo o Datafolha), está José Serra, do PSDB, referenciado por aqui como “Cerra” (o Paulo Henrique Amorim o chama assim) , “Vampirão”, “Zé Bolinha de Papel”…

Eu não nutro simpatia pelo PSDB pela lástima que está a educação a níveis estaduais. Progressão continuada, as escolas um caos, os caras estão há 20 anos no governo do Estado e o que temos? E em tempo: Petralha é a vovózinha.

Já o Cerra em questão, não foi o mesmo que largou a prefeitura de SP para candidatar-se para presidente e deixou o terrível Gilberto Kassab no poder? Kassab foi um dos piores prefeitos de São Paulo, e é cria do Cerra e do Maluf.

Cerra também é o “protagonista” do best-seller “A Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro Jr. No livro conta que ele e a família locupletaram-se das privatizações ocorridas na época do FHC.

No outro lado da tabela, tendo 3% das intenções de voto (segundo o Datafolha, na mesma pesquisa) temos Fernando Haddad, pelo PT.

Haddad era Ministro da Educação no governo da Dilma Rousseff, e deixou o ministério para candidatar-se para prefeito de SP, apoiado pelo ex-presidente Lulla (sim, escrito com “dois eles” mesmo, tirando-o da mesma forma que “Cerra” com “C”). E a gestão Haddad no ministério foi, digamos assim, um desastre. Quem não se lembra das mega-fraudes que ocorreram no ENEM dos anos de 2011 e 2010? EPIC FAIL! E os homofóbicos de plantão ainda falam do tal “kit gay”, um material que seria distribuído nas escolas a fim de combater a intolerância contra homossexuais.

Ainda sobre a candidatura Fernando Haddad, o mesmo foi imposto por Lulla. Depois que assumiu a presidência e conseguiu eleger a sucessora, parece que o Lulla ficou com o rei na barriga. O cara já tá fora, e ainda acha que apita. No PT está assim, pois não teve prévias no partido. Se bem que no PSDB, tava na cara que quando Cerra se declarasse oficialmente pré-candidato, iria vencer as prévias de seu partido.

O PT nunca teve a simpatia dos paulistanos. Eu até votaria no candidato do PT, se este fosse a Marta, ex-Suplicy. E por falar nela, ela não está relaxando e nem gozando por causa da situação no partido. É notório o descontentamento da Marta, que chegou a faltar num evento recente que promovia a candidatura de Haddad. Nessa situação eu faria o mesmo que a sexóloga: boicotaria o cara e até “pedia pra sair” do partido. O melhor que a Marta faria agora é sair do PT, respirar novos ares. O PT não é o mesmo de 10, 12 anos atrás, onde eu até nutria certa simpatia.

A briga vai ficar polarizada entre PT e PSDB. Enquanto um roubava colocando dinheiro na cueca e com mensalão, o outro roubava privatizando e ccolocando a grana nas Ilhas Cayman e com os mensalinhos. Essa é a diferença entre os dois, embora farinha do mesmo saco.

Falamos por enquanto só de PT e PSDB, mas ainda não acabou:

Temos, pelo PPS, a candidata Soninha Francine. Esta é uma eterna adolescente, como bem explica o Vinicius Duarte. Em plena confusão por causa do acidente do Metrô, ela fala que as outras linhas estão “sussa”. Como dizem, se ela não cuida nem de um bairro direito, imagina de uma cidade como São Paulo.

Pelo PC do B, temos Netinho de Paula, o “espancador de mulheres”. Nem preciso dizer mais nada…

Pelo PMDB, temos Gabriel Chalita. Este PARECIA ser um nome adequado, até votaria nele, até ler este texto do Cardoso, que fala que quando ele era secretário da Educação em SP, proibiu uma instituição que procurava “gênios” nas escolas aplicassem as provas nas escolas do Estado.

Ainda devem ter outros candidatos, né? Mas eu só consegui me lembrar desses no momento. Pelo que expus acima, pelo menos para mim, a melhor solução é anular o voto, já que NENHUM candidato me agrada. Nem consigo votar no “menos pior”, TODOS são péssimos! E não tenho expectativas para o próximo prefeito. Torço para melhorar, mas tá foda.

Então, correr para as colinas, ou melhor, para a praia e justificar é uma boa solução. De qualquer jeito, estamos fodidos… Salvem-se quem puder!