A expectativa é a mãe da merda
Leonel Fraga de Oliveira 03/06/2012 19:06
Expectativa x Realidade

É sabido que todos nós criamos uma expectativa acima da média em relação a certas coisas. Seja ganhar muito dinheiro no mercado de ações, apresentar um projeto mirabolante para um cliente que faz mais o que ele precisa e entregá-lo no prazo, conquistar aquela garota super legal, entre outras coisas mais.

Mas quando criamos essa expectativa, estaremos preparados para a decepção? Nenhum planejamento é 100%, sempre ocorrem imprevistos e muitas vezes não sabemos como lidar com eles, e quando aprendemos já é tarde demais.

Já diziam os ditados: “não devemos contar com o ovo no cu da galinha” e “a expectativa é a mãe da merda”.

Sim, pois quando estamos com uma expectativa muito grande não medimos as consequências dos nossos atos. Por exemplo, você está na expectativa de comprar algo, compra no cartão de crédito (que é um dinheiro que você NÃO tem no momento, por isso nesse caso você “conta com o ovo no cu da galinha”, certo?) e não faz as contas como deveria. Daí surgem aqueles gastos emergenciais. Bem, nem preciso comentar o resultado: uma fatura imensa e que vai demorar um bom tempo até amortizar e sair do rotativo.

Um outro exemplo bem recente e real: Todos estavam muito ansiosos pela oferta pública de ações do Facebook. Analistas financeiros, investidores, imprensa, todos criaram muita expectativa em torno desse fato. Pois bem, ela já aconteceu, as ações hoje valem menos do que a oferta inicial, com muita queda e poucas altas. Podemos dizer que foi uma EPIC FAIL, que por sinal deixou o Mark Zuckerberg “só” 5 BILHÕES de dólares mais pobre. E há outras pessoas processando o Facebook por causas que são relacionadas à essa oferta de ações. Sei que ela ainda está no comecinho, pode crescer ainda. Não posso afirmar que se você comprar agora, já que está em baixa, que vá subir muito e você ter um baita lucro.

A relação Fornecedor x Cliente (ou até mesmo Subordinado x Chefe) também é recheada de muita expectativa. Tanto do fornecedor, quando acha que pode fazer um serviço dentro do prazo estipulado, livre de problemas, tudo conforme o planejamento; quanto do lado do cliente, que espera receber o que ele pediu e mais um pouco.

Se um dos lados não está satisfeito com o acordado, como diria o Cap. Nascimento, “vai dar merda”. A relação é abalada, o cliente não vai mais confiar no fornecedor, que por sua vez terá a imagem abalada.

Se o fornecedor adotasse uma postura mais conservadora, ou seja, NÃO criar expectativa no cliente e expor os riscos talvez as coisas caminhassem mais tranquilamente nos momentos de crise.

Por exemplo, eu como analista de sistemas / programador, eu adoto uma postura de NUNCA criar uma expectativa de fazer mais do que é contratado/pedido, e sim de “talvez dê para fazer isso, preciso analisar”. Ou seja, nunca fazer afirmações do tipo “ele pede, eu faço”. Não é bem assim, antes tem todo um estudo de viabilidade. E se você afirma “sim, eu farei isso”, e no final o que você prometeu não é possível ou vai demorar muito mais do que você preveu? Não seria melhor fazer um estudo antes, você falar que vai dar para fazer se REALMENTE der para fazer, superdimensionar um pouco o prazo para caso as coisas não derem bem você ter uma margem para fazer as devidas adaptações e no final entregar um trabalho bem feito? (sim, eu normalmente faço isso. Por exemplo, peço um prazo de 3 dias, porém faço o serviço em 1 dia e meio, o restante fica para depurar, corrigir bugs, e entregar um trampo quase perfeito :) Sempre digo: X tempo para entrar em PRODUÇÃO, trabalho finalizado. ).

Com uma postura assim, podemos até superar as expectativas do cliente. Vamos pegar essa situação de superdimensionamento de prazo: se você acaba antes do que o acordado (ou até mesmo no limite do prazo) e tudo sai conforme o planejado a expectativa do cliente/usuário final é sim superada, você recebe até elogios.

Falo aqui de superdimensionamento como uma das técnicas para não criar expectativa (e não dar merda no final, como diz o título), mas isso não quer dizer que devemos exagerar, e sim fazer com critério. Não devemos colocar prazos absurdos, como também os clientes tem uma contra-partida: não nos devem pedir coisas absurdas dentro de um prazo muito curto.

Expectativa está muito ligada com a ansiedade. E como sabemos bem, muita ansiedade faz mal para a nossa saúde. Tanto física quanto mental.

Um tipo de relação que mexe e muito com o nosso corpo e mente são as relações amorosas (sorry falar disso mais uma vez, mas o assunto é pertinente ao texto ;) ). Quando gostamos de alguém nosso cérebro trabalha como um doido. Reações químicas (e é isso mesmo o que ocorre dentro do nosso corpo) que causam muitas mudanças no nosso comportamento.

Criamos alta expectativa num possível relacionamento. Quando dá certo é as mil maravilhas, mas quando não dá… dá merda! Nem vou contar sobre meus casos nesse texto, eles podem ser vistos aqui mesmo no NM Light.

Então, devemos controlar muito bem as nossas expectativas e deixar o cérebro tomar conta daquilo que normalmente deixamos a emoção tomar conta. Dosar muito bem os dois para não nos prejudicarmos depois.

Um abraço!

Leonel Fraga de Oliveira Leonel Fraga de Oliveira é formado em Processamento de Dados na Faculdade de Tecnologia de São Paulo (FATEC-SP - 2002) e anteriormente em Técnico em Eletrônica, pela ETE Professor Aprígio Gonzaga (lá em 1999).
Atualmente trabalha como Analista de Sistemas na Prefeitura Municipal de São Caetano do Sul - SP
Tem como hobbies DJing (também trabalha como DJ freelancer) e ciclismo, além da manutenção dos sites NeoMatrix Light e NeoMatrix Tech.
Gosta de música eletrônica, tecnologia, cinema (super fã de Jornada nas Estrelas), gastronomia e outras coisas mais.


Compartilhe nas redes sociais

   

Deixe seu comentário

comments powered by Disqus

Arquivo de Postagens