Coração Partido

Faz um bom tempo que não discorro sobre relacionamentos (amorosos, diga-se de passagem) aqui no NM Light, né? Vamos supor que você conheça aquela garota altamente edificante (= muito atraente) aos seus olhos e conforme o tempo vai passando vocês vão se vendo frequentemente, pois são de uma mesma turma de amigos (pode ser de classe escolar, colega de trabalho, entre outros) e você vai reparando mais características nessa pessoa até que chega uma hora e PIMBA! O Cupido atingiu o seu coração e sem mais, nem menos, você está apaixonado.

Você, todo pomposo, vai contando aos amigos que está apaixonado, e fatalmente vai ouvir a famosa frase, em um português bem claro:

“Pô, cata ela logo!”

No meu caso, em se tratando de relações amorosas (namoro, para delimitar bem o tema), deixei Darwin para escanteio e não me adaptei à nova realidade: sou romântico à moda antiga.

O que isso significa? Significa que quero conquistar a pessoa antes de tentar alguma coisa. Se eu quisesse apenas sexo, poderia muito bem contratar os serviços de uma garota de programa, certo? Mas nesse caso, o que procuro é uma companheira. Sexo e outras coisas são consequências do relacionamento. Sigo mais ou menos o seguinte fluxo:

1. Ganhar a amizade (de verdade) da garota.

2. Com a amizade consolidada, ver se há reciprocidade.

3. Havendo reciprocidade de sentimentos (e tendo certeza absoluta disso), declarar-me.

Ou seja, para mim uma namorada é acima de tudo uma amiga, num patamar já acima. Aquela pessoa que você tem confiança, conhece razoavelmente bem e ela conhece a ti. Se houver reciprocidade é porque ela gosta de como você é, sem máscaras.

Conforme tem-se contato frequente com a pessoa, vai se perdendo na paixão. E como bom taurino que sou, sou leeeeeeeeento nessas coisas de “pegar os sinais” de que ela está afim (fonte aqui). Demoro muito tempo e como bom tímido que sou, não me declaro de uma vez, falar pelo menos as 3 palavrinhas mágicas: “gosto de você”. E seja a resposta que for, continuar normalmente.

Nesse tempo podem ocorrer as seguintes situações, dentre outras:

1. Ela também gosta de você e espera você chegar nela.

2. Ela sempre te viu como um amigo e não nutre nenhum sentimento a mais.

3. Ela chegou a gostar de você, mas como demorou muito, deu um “cartão vermelho” porém quer manter a amizade.

Caso nenhuma ação seja tomada as situações (2) e (3) fatalmente vão acontecer e a situação (1) vai depender mais dela “chegar chegando”.

A famosa e perigosa “Zona da Amizade” é o período que pensamos se é mais cômodo manter-se como amigos ou finalmente criar coragem e declarar-se. Você ainda nutre um sentimento muito forte pela garota em questão, o medinho de dar um passo adiante no relacionamento pode fazer com que, se ela tivesse um interesse por você, perdesse esse interesse e te considere apenas como um amigo.

Confesso que tento equacionar quanto tempo é necessário para atingir tal zona. Sempre me pergunto “quanto tempo é necessário para se pedir alguém em namoro após conhecer ou nutrir algum interesse?” e colocando como variáveis a frequência de contato, nível das conversas e tempo de conhecimento nesta equação. Potenciais concorrentes e outros quetais também entram na conta. Nunca cheguei e creio que não há resposta exata para tal coisa, afinal, namoro não é ciência exata, né!

Por que a zona da amizade é perigosa?

Você tá todo apaixonadão pela moça e não sabe qual seria a resposta dela para um possível upgrade de relação e tem receio em perguntar, e de repente descobre que ela te quer apenas como amigo e ela sabe que você gosta dela, porém por algum motivo ela não diz o que pensa, não “dá o papo reto”, como diria os manos daqui da Z/L.

Eu acho que uma paixão não correspondida dói mais no homem do que na mulher. Nós homens não costumamos demonstrar nossos sentimentos. Eu pelo menos demonstro quando eles explodem e tenho que dissipar esta sobrecarga em algum lugar. Saber que ela não está aí para os seus sentimentos abala a estrutura de qualquer um. Uns mais, outros menos. Vai depender do nível da paixão e da estrutura do cara em aceitar a situação e partir para outra.

Ficamos perdidos… Especialmente as pessoas tímidas (euzinho, por exemplo hehe). Até colocar o coração em ordem demora um tantinho. E sei, como já ouvi muitas vezes, no meu caso em específico é que eu idealizo demais as coisas, me iludo com certa facilidade e não tomo atitude. Aí cabe uma vírgula: se eu tiver certeza absoluta, através de um sinal explícito, que ela quer algo (o grifo que coloquei na primeira enumeração do texto), aí “chego chegando”. É, eu sei que falta autoconfiança nesse aspecto, e isso está sendo uma luta para melhorar. Assim como aprendi a programar, a dirigir, a mixar, entre outros, acho que isso também posso tirar de letra, não importa o tempo que leve.

Se alguma resposta tivesse sido obtida antes de entrar na zona da amizade o impacto de uma negativa seria menor, pois no meu caso, o ciclo da primeira enumeração que fiz estaria ainda no passo (1). O passo (2) já entra na “zona de perigo”. Daí, o (3) deve ser executado tanto quanto breve possível para que a ilusão não fique em níveis astronônicos a ponto de distorcer a realidade. Resumindo: espero chegar na zona de perigo e não faço NADA!

Meu erro está justamente nessa idealização aliada a falta de atitude, admito. Mais uma vez, como bom tímido… racionalizo o que NÃO deve ser racionalizado. Desse pequeno erro desencadeam outros, e aí quando vê, acaba sofrendo por aquilo que não deveria sofrer tanto.

Será que sempre foi desta forma como vemos hoje em dia (não generalizando, claro)? Relacinamentos que começam cedo, porém terminam cedo também? Estaria eu sendo careta em pensar de forma mais conservadora sobre isso?

É, meus queridos! Com um sentimento a flor da pele, os amigos ao redor percebendo a sua postura, e você inerte só pode dar m*! Cabe agora eu aprender a sair da zona da comodidade e arriscar mais. Perceber que quando estiver no limiar de chegar à zona da amizade, fazer a pergunta X da questão, e caso receba um “NÃO”, ligar o f*-se e partir para outra logo em seguida, e seguir esse ciclo até atingir o meu objetivo.

Para finalizar, vou colocar uma citação feita por uma grande amiga minha:

…Ja no mundo de hoje o romantismo é destruído e fazem a gente ter medo de amar…

Temos que vencer esses medos :)