Tropa de Elite 2

Na segunda-feira (11/10/2010) assisti ao filme Tropa de Elite 2.

Tirando as porradas e balas que o Capitão Nascimento distribui por aí, o filme foi um soco no estômago dos políticos brasileiros.

E não é só isso. Logo no início do filme tem a crítica aos Direitos dos Manos, ops, Direitos Humanos, que em vez de defender os humanos direitos defendem bandidos. Eu concordo com a política de que bandido bom é bandido morto e que essas organizações de DH deveriam era defender os interesses dos humanos direitos.

No decorrer do filme foram mostrados elementos de como os políticos fazem de locais como as favelas seus currais eleitorais. Como diria Nascimento, “pobre quer TV a cabo”, “pobre quer acesso à Internet” e outras coisas.

O “Sistema” é implacável e muito grande. Políticos, milícias, tráfico de drogas, corrupção. Tudo isso anda de mãos dadas e os laços são cada vez mais fortes.

No primeiro filme foi mostrado o lado mais frágil do Sistema: o “playboyzinho de merda da classe média que financia o tráfico”. E com isso os policiais corruptos que se locupletam com o arrego do tráfico. Faz-me rir que eu te deixo em paz.

Mas o “playboyzinho de merda” é só a pontinha de algo muito, mas muito maior. E é isso que o segundo filme Tropa de Elite mostra.

O político corrupto que tem influência nas milícias, e essas tem influência nas comunidades que elas comandam. As milícias “protegem” a comunidade e ela em troca dá votos para os políticos que elas apóiam.

E tudo isso por que? Dinheiro e mais dinheiro, simples assim!

A mensagem passada por Tropa de Elite 2 veio em um momento oportuno, já que esta é a época das eleições presidenciais no Brasil. E ela não poderia ser mais direta. Quem poderá lutar contra o Sistema? Acho que só nós!

Recomendo que assistam ao filme e vejam com seus próprios olhos.

Um abraço!