Folclore Brasileiro

Quando falamos em folclore brasileiro, costumamos nos lembrar de mula-sem-cabeça, saci-pererê, boto cor de rosa, e outros elementos do nosso cotidiano como político corrupto, advogado mentiroso, funcionário público não faz nada…

Epa! Aí tem uma parte que ME toca. Sou funcionário público de uma das sete cidades do Grande ABC Paulista e trabalho bastante!

Mas essa de funcionário público ser ou “preguiçoso” ou “corrupto” é uma das “teses” que foi mostrada no programa CQC, exibido no dia 22/03/2010.

Para quem ainda não sabe, a matéria exibida pelo CQC mostrou um suposto desvio de uma TV doada à Prefeitura Municipal de Barueri. Os caras instalaram um GPS na mesma e ficaram monitorando o aparelho, e por fim encontraram-o na casa de uma das funcionárias de uma escola na cidade.

Até teve direito a um piti do prefeito Rubens Furlan:

Não foi censura. Minha secretaria jurídica que viu essa estupidez de vocês, vocês são uns babacas, sem nenhum talento, uns tontos, malandros, que se veem no direito de ridicularizar o congresso. Quem são vocês? Quem são vocês?

Mas o interessante é que nem mesmo o Secretário da Educação, Sr. Celso Furlan (coincidentemente o irmão do Excelentíssimo Prefeito) não sabia de nada (isso te lembra alguma coisa?).

No fim, a Prefeitura ficou com a TV e a moça que supostamente desviou o aparelho pediu demissão, deletou o perfil no Orkut, e agora está em casa, sem TV e sem emprego.

Mas vamos voltar a falar de folclore.

Ninguém duvida que a imagem de que político é corrupto “por default” já está estampada na cara do brasileiro. Depois de tantos escândalos e quase nenhuma melhoria efetiva é de se imaginar que essa imagem ficará difícil de ser mudada.

Essa matéria do CQC mostrou o que todo mundo já imaginava o que ia acontecer: alguém iria desviar o patrimônio.

Muitas foram as visões sobre o episódio: o Cardoso falou sobre o isso pelo ponto de vista “bloguístico”, já que o mesmo quadro foi exibido no CQC argentino e os brasileiros “kibaram”.

Já o Vinicius Duarte trata do assunto sob o ponto de vista jornalístico: diz que o CQC faz um “jornalismo comédia”, sem prestar serviço à população.

Aqui o papo não é sobre a originalidade da idéia ou se o fato é jornalístico ou não, e sim a (tentativa de) “consolidar” a idéia de que político (ou funcionário público) é ladrão.

Será que político honesto é a mesma coisa que cabeça de bacalhau, ou seja, sabemos que existem mas ninguém viu?

Se eu achar que funcionário público só quer se aproveitar vou ter que me incluir nesse meio, e obviamente que isto não é possível.

Mas não é só por causa desta inferência que penso que o mundo da política e do funcionalismo público são as mil maravilhas. Sempre tem aquelas pessoas que querem se locupletar, sempre o ambiente vai estar um pouco pesado ou até mesmo muito leve, enfim, não vou me levar pelo o que as outras pessoas fazem porque sei que a minha consciência está tranquila.

Talvez essa matéria nem existiria se tudo corresse da forma correta, se a TV ficasse na escola. Não sei se os caras tentariam enviar a TV para os mais de 5000 municípios brasileiros até que um “fisgasse” a isca, como Barueri fisgou.

E por falar em Barueri, por que será que a cidade de Barueri foi a escolhida? Vamos conspirar um pouquinho só!

A cidade de Barueri está muito presente na mídia esportiva hoje em dia, seja do lado bom, com a cidade mandando alguns jogos de times grandes da Capital Paulista (São Paulo e Corinthians) em seu estádio; ou do lado ruim, em que o time do Grêmio Barueri se mudou para Presidente Prudente, por motivos políticos, se chamando agora Grêmio Prudente.

E a Band era a alguns anos atrás o Canal do Esporte.

Claro que não dá para tirar nada disso, mas quem deve ter tido orgasmos múltiplos ao ver a matéria do CQC é o Paulinho, o famoso “motoca”, que hora ou outra posta sobre a figura de Rubens Furlan e o apresentador Fernando Vanucci, que recebe dinheiro para mandar abraços para o Prefeito.

Enfim, já que temos tantos quadros de humor que mexem com o esteriótipo do político ladrão, por que não tratar esse quadro do CQC com o mesmo teor? Mas que mexeu com o pessoal de Barueri, isso mexeu, não tenha dúvidas!

PS: Se alguém souber de um concurso público para “sintonizador de TV” em Barueri, me avisem hehehe.

Um abraço :)