Balada Hi-Fi

No dia de ontem (15/08/2009) fui à casa Hi-Fi, que fica na R. Osvaldo Cassimiro Muller, 25, no bairro do Brooklin, em São Paulo – SP (dica: primeira travessa da Berrini, vindo da R. Funchal), para comemorar o aniversário de uma amiga.

Chegando lá, durante a minha “estada” na fila, só carrão aparecendo por lá. Hum… a maioria do pessoal que vai lá é chique.

Passando pelos caixas, logo na entrada, temos o bar, a pista de dança e os camarotes ao lado. Lá também ficam os DJ’s que comandam o som.

Balada Hi-Fi

A casa tem 4 ambientes em 3 andares: Bar / Pista no térreo, Mezanino, Lounge no 2º andar e um bar panorâmico (bem, não é bem um bar e sim uma área aberta, que foi criada pensando-se exatamente na nova lei antifumo, que por sinal, também foi respeitada lá), com vista para a redondeza. Para acesso aos quatro andares da casa, pode-se ir de escada ou elevador!

Por volta da 1:00 da manhã é que a pista bomba. Não ficou muuuuuuuuuuito cheio, deu para andar sossegado em comparação com as outras baladas. E também, o pessoal fica disperso pelos ambientes, exceto pelo lounge, com algumas mesas, que fica meio que vazio a maior parte do tempo.

Fiquei a maior parte do tempo no mezanino, em companhia da minha amiga e de mais três pessoas que fiquei conhecendo (uma delas também é membro do CAJIN, e as outras duas eram uma amiga e o irmão deste novo camarada), ouvindo o som e dançando um pouco.

Balada Hi-Fi

O som da casa, pelo menos aos sábados, é House e suas variações, como remixes de músicas Rock (sim, até ouvi lá uma versão House de Psycho Killer!) e flash house com uma roupagem mais atual.

Por falar nisso, você já notou que hoje em dia são VÁRIOS os remixes de músicas do passado, principalmente dos anos 90? E não é só uma versão não. Cada produtor faz de um jeito diferente.

Minha amiga e eu, ao vermos o site da casa, e ver escrito “curtir o melhor do flash, dance, e rockhouse…” pensávamos que iriam tocar músicas dos anos 80/90 também. Só que esperávamos as versões originais, e não os remixes (nossa concepção de flashback são as músicas dos anos 80/90 em especial). Bem, não podemos dizer que não tocou flash em absoluto :)

Confusões? Nenhuma. Mulheres muito gatas mesmo. Não vi muita mulher feia lá não.

Se meus seus ouvidos sentem-se bem ao ouvir música eletrônica, e meus olhos se enchem ao ver belas mulheres, o mesmo não posso dizer do meu bolso.

Balada Hi-Fi

Ele já começou a doer quando vi o preço de uma lata de refrigerante: “módicos” 7 reais. C-A-R-A-L-H-O!!! 7 contos em um refri? Sim, é isso mesmo. Um Red Bull estava R$ 16,00.

Para quem costuma pagar R$ 4,00 em um refri e R$ 12,00 em um energético, isto tudo é caro demais.

Só para entrar, morrem R$ 40,00 a entrada (H) e com consumação, se eu não me engano, são R$ 60,00.

No geral, se você curte house com a companhia de pessoas mais chiques, o lugar é uma boa opção.

Agora, vamos aos conceitos “Péssimo, Regular, Bom ou Ótimo”:

Tamanho: Bom 
Som (estilos muisicais): Ótimo (eu curto eletrônicas)
Som (qualidade sonora – som sem distorções, com graves convincentes, bem dosado na equalização): Bom
Mulher: Ótimo (em quantidade e qualidade)
Preço: Péssimo (para os meus padrões…)
Frequentadores: Bom.
Discotecagem: Bom. 
Aparência da Casa: Bom
Website: http://www.hi-fi.art.br/

Veja um slideshow com algumas fotos da casa:

Um abraço!